Novidades

06/03/17

Embarque nesta viagem

O projeto "Embarque nesta viagem" foi retomado pela Itamarati nesta semana. Expositores com livros estarão disponíveis para a população que utiliza as linhas Estação, Paineiras e Colinas. Os livros podem ser retirados no ônibus e devolvidos após a leitura. A população também será incentiva a fazer doação de novos livros, mantendo assim a continuidade do projeto.
Cerca de 60 títulos novos foram disponibilizados e serão repostos ao longo do ano. A iniciativa da empresa tem o objetivo de contribuir para as ações de incentivo à leitura na cidade, a exemplo do Fliv e Fliv Itinerante.
A Itamarati é patrocinadora oficial do Fliv Itinerante, ônibus-biblioteca que já viajou por dez municípios da região e mais cinco bairros de Votuporanga.
Mais informações sobre o projeto em FLIV - Festival Literário de Votuporanga ou através do email fliv@flivotuproanga.com.br.

31/10/16

FLIV se consolida como o maior evento literário do Estado

Encantamento aos visitantes e um grande orgulho aos votuporanguenses. Assim foi a 6ª edição do Festival Literário de Votuporanga realizado com uma intensa programação pela primeira vez no Parque da Cultura. Por todos os cantos, o que se viu foi muito entretenimento,lazer, momentos de conhecimento e interação com públicos de todas as idades. A organização estima que mais de 80 mil pessoas tenham passado pelos ambientes doFLIV ao longo dos nove dias de realização, 21 a 29 de outubro.

“Achei tudo muito lindo e organizado. Estou morando em Uberaba e aproveitei o fim desemana em Votuporanga para vir ao Festival. Me surpreendi. Ao chegar aqui me senti como se estivesse em eventos de São Paulo e Rio de Janeiro”, comenta Marina Pelegrine Mauricio da Rocha, visitante do FLIV.

O votuporanguense Afonso Pelegrine também aprovou a 6ª edição do Festival Literário de Votuporanga. “Moro em Votuporanga há 50 anos e achei tudo muito bonito. Está todo mundo deparabéns”, destaca.

Mais que uma iniciativa voltada à leitura, o FLIV se firmou como o maior evento multicultural gratuito do Estado de São Paulo. Foram mais de 160 atividades, além dos shows de grande público com a Orquestra Bacchiana Sesc-SP regida porJoão Carlos Martins, Pato Fu e Funk Como Le Gusta.

Num dos palcos do festival, o escritor Ignácio Loyola de Brandão discursou no início de sua apresentação: “Estou surpreso. Num momento em que todos falam em crise, eu acho que todo o Brasil devia ver o que Votuporanga foi capaz de fazer. Vocês devem sim ter muito orgulho desse Parque e do Fliv. Este festival é riquíssimo com uma programação de muita qualidade. A cidade está de parabéns. Estou realmente emocionado”. Logo após, Loyola e a filha Rita encantaram a plateia com o espetáculo “Solidão no fundo da agulha”.

Diversos outros nomes da literatura brasileira contemporânea passaram pelo FLIV. Durante o evento, mais de 25 autores participaram de atividades como rodas de bate-papo, palestras, lançamentos de livros, oficinas de escrita e workshops.

A organizadora Cibeli Moretti comemora o sucesso da maior edição da história do festival. “Conseguimos uma diversidade de programação com nomes do país todo e de diversos segmentos de arte. Acredito que a família inteira se sentiu contemplada dentro do festival. Tivemos muito conhecimento e informação atrelados a entretenimento e lazer. Quem veio ao FLIV pôde comprovar que Votuporanga tem um dos maiores eventos multiculturais do Brasil. Ouvimos muitos elogios dos escritores e da população em geral”, disse.

O prefeito Junior Marão comemorou a realização do festival. “O FLIV é uma conquista de todos. É algo que entrou para o nosso calendário e se tornou um grande orgulho para cada morador de Votuporanga”.

A Secretária de Cultura e Turismo, Silvia Stipp, lembrou a trajetória do Festival, que se consolidou como referência em evento literário voltado para o público infanto-juvenil. “Foi um percurso cuidadoso a cada edição, com o propósito de oportunizar a vinda de escritores, artistas, espetáculos e músicos que utilizam narrativas inovadoras e, com isso, formar público receptivo a diferentes formas de linguagens. Nesta edição, o sucesso deu-se também pela escolha do Parque da Cultura e da integração com o recém-inaugurado Centro de Informações Culturais e Turísticas 'Marão Abdo Alfagali", um local que reúne lazer, entretenimento, esporte e cultura”.

Cibeli já faz planos para 2017. “Um desafio para o próximo ano é ampliar ainda mais a programação e a diversidade de atrações, inclusive com algum nome ou grupo internacional”.

Nos mais de 10 ambientes montados para o Fliv, os visitantes puderam conferir teatro, dança, contação de histórias, palestras, cinema. Nas rodas de bate-papo com escritores, estiveram temas como a importância da leitura para a produção escrita, os novos rumos da literatura no país, as dificuldades e peculiaridades do processo criativo e o papel do escritor numa realidade altamente midiática e tecnológica. 

Muito mais que incentivar a leitura, o festival promoveu ainda discussões sobre questões em voga no atual contexto político-econômico brasileiro, como o protagonismo e o empoderamento feminino e a representatividade literária de grupos minoritários ou socialmente marginalizados.

Estiveram presentes no Fliv 2016 escritores premiados e de grande projeção nacional, como Marcia Tiburi, Lourenço Mutarelli, Noemi Jaffe, Evandro Affonso Ferreira, Marcelino Freire, Veronica Stigger, Marcelo Maluf, Rafael Gallo, os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, Inês Bogéa, Tarso de Melo, Cadão Volpato, Reynaldo Bessa, Penélope Martins e Jean Garfunkel.

O Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali” sediou grande parte da programação do FLIV nos espaços da Biblioteca, Museu Municipal, Cinema e auditório externo.

 Os visitantes também puderam passear pela Feira do Artesanato com apresentação de peças feitas por artesãos da cidade. O Food Park foi uma das novidades da edição. Na Cozinha Literária, o Espaço Senac promoveu oficinas de gastronomia. A Unifev reuniu alunos e comunidade em oficinas de comunicação. No Galpão das Livrarias, o espaço do escritor sediou o lançamento dos livros de Fabíola Rodrigues e Lu Crepaldi. As livrarias Premier, Espaço e Saraiva apresentaram títulos variados para todos os públicos.

 Os projetos educacionais, Fliv Itinerante e a carreta Elektro nas Escolas ofereceram conhecimento para as crianças. Estima-se que mais de 10 mil alunos participaram das caravanas promovidas por escolas de toda a região ao festival.

 A vida da poetisa goiana Cora Coralina, homenageada da edição 2016, foi contada em rodas de bate-papo, exibição de filmes e no Museu Casa de Cora montado pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Vídeos, fotografias e depoimentos de visitantes e escritores estão disponíveis no facebook do evento. Acesse e confira www.facebook.com.br/flivotuporanga

Organização

O FLIV é realizado pelo Ministério da Cultura, Instituto Comuna, Prefeitura de Votuporanga e Governo do Estado de São Paulo com patrocínios oficiais do Guaraná Antarctica e Elektro. O festival também tem importantes apoiadores culturais: Grupo HSA; Senac; Abaçaí Organização Social de Cultura; Facchini; Poiesis - Instituto de Apoio à Cultura, à Língua e à Literatura; Projeto Ademar Guerra; OC Oficinas Culturais, Apaa - Associação Paulista dos Amigos da Arte; Sesc 70 anos; SESCOOP/SP; SESI-SP; Unifev; Museu Casa de Cora Coralina; MediaLab/UFG e SP Leituras Organização Social de Cultura. A promoção do evento é daTV TEM-Globo. O Fliv Itinerante tem o apoio da Itamarati, Usina Colombo/Açúcar Caravelas e Facchini.

28/10/16

Quadrinistas e banda paulistana são destaques no último dia do FLIV

Depois de mais de uma semana de intensa programação cultural gratuita e aberta a todos os públicos, a 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga chega ao final neste sábado (29/10), no Parque da Cultura. 

Um dos destaques do último dia é o show da banda Funk Como Le Gusta, às 21 horas, no palco principal. Formado por músicos e produtores influentes na cena musical paulistana, o grupo foi criado no final da década de 1990 e aposta na união de ritmos como o samba, o jazz e a música latina.

Pouco antes, às 20 horas, os escritores Lourenço Mutarelli, Fábio Moon e Gabriel Bá recebem o público no auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali" para discutir quadrinhos, literatura e cinema. 


Bate-papo com escritores 

Três grandes criadores de histórias em quadrinhos no Brasil, Lourenço Mutarelli, Fábio Moon e Gabriel Bá conversam com o público a respeito de temas como as relações entre ilustração e literatura, processo criativo, adaptação de grandes obras e cinema. 

Lourenço Mutarelli é escritor, ilustrador, quadrinista e ator. É autor de novelas gráficas, contos e romances, como “Diomedes”, “O Cheiro do Ralo”, “O Grifo de Abdera” e “Sketchbooks”, entre outros títulos.

Os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá ganharam, em 2016, o prêmio Harvey Awards, nos Estados Unidos, pela adaptação para quadrinhos do romance “Dois Irmãos”, de Milton Hatoum. Os dois também são autores de “Daytripper” e da série “10 pãezinhos”.


Funk Como Le Gusta

Às 21h, logo após o bate-papo com os autores, a banda Funk Como Le Gusta marca o encerramento do festival com um show no palco principal do Parque da Cultura. Com quatro discos gravados, “Roda de Funk” (1999), “FCLG” (2004), “A Cura Pelo Som” (2011) e “A Nave Mãe Segue Viagem” (2015), o Funk Como Le Gusta adquiriu sucesso e respeito da crítica e do público, apresentando o que há de mais moderno e autêntico na atualidade e consolidando seu nome no cenário da música brasileira contemporânea.


Escritora do Senac fala sobre liderança 

Além do show do grupo Funk Como Le Gusta e do bate-papo com Lourenço Mutarelli e os irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá, o FLIV também recebe, neste sábado (29/10), às 11h, uma palestra com a escritora Lucila Mara Sbrana Sciotti, autora do livro “Horizontes para Liderança”. Lucila é Superintendente de Operações no Senac e tem experiência na área de Educação, com ênfase em Gestão Educacional, atuando principalmente nos seguintes temas: ética, prática pedagógica, aprendizagem, ambientes colaborativos educação do futuro e gestão.


JAM do Asfalto – Danças Urbanas

Às 12h e às 14h30, Ticko Bboy e os DJs William Teotônio e Danilo Bourog promovem uma festa de danças urbanas, que conta com dançarinos proporcionando uma dança convidativa, da qual qualquer pessoa pode fazer parte. Ao som das músicas tocadas pelos DJs, há a interação dos artistas com o público, além de uma batalha de danças urbanas.


Espetáculo Escambo – Cia. 2 Atos

Às 13h30, no Galpão FLIV, a Cia. 2 Atos, de Votuporanga, se apresenta com o espetáculo “Escambo”. A peça retrata, com linguagem do palhaço, a briga pelo espaço, seja ele físico, ideológico ou artístico. Depois de uma intensa disputa, os protagonistas da peça aprendem que é possível dividir e compartilhar e que, finalmente, a união faz a força.


Workshop de Dança Contemporânea

Às 14h, o Centro de Convenções “Jornalista Nelson Camargo” recebe um workshop de dança contemporânea. A atividade, voltada para dançarinos a partir de 14 anos de idade, será ministrada por Mônica Nascimento, integrante da Federação da Dança, da cidade de Salvador (BA). Durante o workshop, Mônica dividirá sua experiência em processos de criação na dança contemporânea, por meio de jogos e improvisações. A atração conta com 20 vagas disponíveis. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no local, com uma hora de antecedência.


Votuporanguense lança livro 

Às 15h, no Espaço do Escritor do Galpão Livrarias, a autora votuporanguense Fabíola Rodrigues aborda o tema “Memórias de Viajante: o lugar do afeto na escrita poética”, num bate-papo mediado pelo jornalista Harlen Félix. Socióloga, mestre e doutora em Demografia, Fabíola atua na gestão pública do patrimônio cultural em Campinas (SP).

Às 16h, a autora também lança o livro “Cartas náuticas das desimportâncias”, publicado pela editora 7Letras. O título marca a estreia de uma poetisa de estilo único, que sabe aliar uma extrema riqueza de vocabulários e de recursos linguísticos (metáforas, aliterações, etc.) a um texto que conversa com o leitor como se este fosse um velho amigo.


Oficina de Circo – Troupe Luz da Lua

Também às 16h, a Troupe Luz da Lua promove uma oficina de circo, no Parque da Cultura. Formada em 2005, em Foz do Iguaçu (PR), A trupe integra a programação dos maiores festivais de circo do Brasil. Para divulgar a arte circense, a trupe já se apresentou em programas de televisão, entre eles o “Domingão do Faustão”, da TV Globo, no quadro “Se Vira nos 30”.


Bate-papo “Narrativas Feministas”

Às 18h30, o Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas sedia o bate-papo “Narrativas Feministas”, promovido pela Rede Panapanã de Mulheres do Noroeste Paulista. A conversa tem como convidada a ativista e ex-presa política Amelinha Teles. A mediação é de Angelita Toledo e Terezinha Gonzaga, idealizadoras da Rede Panapanã.


Espetáculo “Olhar com Olhos Virgens”

Às 20h, no Centro de Convenções “Jornalista Nelson Camargo”, a Federação da Dança, de Salvador (BA), apresenta o espetáculo “Olhar com Olhos Virgens”, vencedor do Prêmio Funarte Klauss Vianna 2013. A apresentação trata da beleza do envelhecimento, mais que isso, da poesia de envelhecer dançando, do enrugar-se sob as luzes do palco, frente à grande vitrine chamada plateia. Viver, sentir o peso da idade e ainda assim deslumbrar-se com o mundo como se fosse a primeira vez (daí os “olhos virgens”) é o estopim da montagem da Federação da Dança.

27/10/16

Ignácio de Loyola vem ao FLIV nesta sexta-feira

Uma das principais atrações da 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga está marcada para esta sexta-feira (28/10), no auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali". O escritor e colunista do jornal “O Estado de S. Paulo”, Ignácio de Loyola Brandão apresenta o show “Solidão no Fundo da Agulha” ao lado de sua filha, a atriz e cantora Rita Gullo.

O show é uma viagem pelas memórias do escritor, que vem ao palco para contar histórias marcadas por músicas interpretadas por Rita. A apresentação é a versão ao vivo do livro, de mesmo nome, e que traz imagens do fotógrafo Paulo Melo Jr. e um CD, com canções interpretadas pela filha do autor.

O livro é composto por 32 crônicas com lembranças ligadas a músicas e lugares que marcaram de modo especial e inesquecível a vida de Loyola, como o relógio da extinta loja Mappin, no centro de São Paulo, e canções como “Amado Mio” e “Quizás”, que estão no CD que acompanha a obra.

“Solidão no Fundo da Agulha” foi editado pelo projeto “Livro Para Todos”, numa iniciativa da Fundação Carlos Chagas.


Sexta-feira no FLIV

Além do show com Ignácio de Loyola e Rita Gullo, o FLIV também recebe, nesta sexta-feira (28/10), um bate-papo com o jornalista, músico, ilustrador e escritor Cadão Volpato, às 19h30, no auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas. Literatura, memória, música, romance, conto, arte, cultura, e elementos biográficos se misturam no caldeirão inventivo de Cadão, resultando em dois novos livros, “Os discos do crepúsculo” e “À sombra dos viadutos em flor”, que serão apresentados com exclusividade no FLIV. Cadão Volpato foi apresentador do programa Metrópolis, da TV Cultura, e um dos criadores de uma banda importante dos anos 1980, o grupo Fellini. É autor do romance “Pessoas que passam pelos sonhos”, entre outros títulos.


Elektro nas escolas

Nesta sexta, o FLIV também conta com a presença do projeto educacional “Elektro nas Escolas”, que leva à comunidade escolar uma série de informações sobre os processos de geração, transmissão, distribuição e o bom uso da energia elétrica, proporcionando aos alunos experiências lúdicas e interativas. Além das atividades desenvolvidas no interior de uma Unidade Móvel de Ensino, haverá também a apresentação do teatro de fantoches “A Jovem Escritora”, que busca reforçar os conceitos transmitidos pelo projeto de forma simples e divertida. As sessões do “Elektro nas Escolas” tem duração de aproximadamente 30 minutos e acontecem no período da manhã, das 7h30 às 11h30, e durante a tarde, das 13h às 17h.


Escritas Criativas

Às 10 e às 14h, o autor Reynaldo Bessa comanda oficinas de escrita criativa, na Sala de Oficinas da Biblioteca Municipal, no 2º piso do Centro de Informações Culturais e Turísticas. A oficina proporciona uma maior desenvoltura no exercício da escrita do aluno/escritor. Com leituras de textos clássicos e contemporâneos, como também, a reflexão, interpretação e o exercício da reescrita, apreende a capacidade de síntese, assim, evitando os costumeiros excessos. Na aula, os alunos despertam a criatividade, praticando a invenção e a desconstrução de alguns textos estabelecidos. 


Balé Aéreo 

Às 16h, o Studio Mariana Maricato promove uma aula aberta de balé aéreo, no Parque da Cultura. A atividade é gratuita e livre para todos os públicos.


Luciana Crepaldi

Já às 18h, a escritora Luciana Crepaldi lança o livro “A Queda da Manga”, no Espaço do Escritor do Galpão Livrarias. O livro é um romance em prosa, que homenageia a linguagem poética. A personagem central representa as inquietudes humanas e o desafio de se compreender as coisas da alma na vida. A obra relata uma queda em plena maturidade e também retrata o constante choque entre o mundo físico e o mundo interior, com suas fortalezas e fragilidades. Nascida em Presidente Prudente, Luciana Crepaldi dedica-se, desde o início da carreira, ao telejornalismo, tendo passado por emissoras como Band, SBT, Record e afiliadas da Rede Globo. Atualmente é editora de texto na TV TEM.


Projeto Sinfônico e Zequinha de Abreu 

Também às 18h, o Projeto Sinfônico de Votuporanga se apresenta no auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas.  A orquestra nasceu em 2014, sob a orientação e regência do Maestro Mazinho Sartori, a partir do núcleo de instrumentos de cordas do Projeto “Música na Escola”, da Escola Municipal de Artes, com a finalidade de proporcionar aos alunos a complementação dos estudos didático-teóricos, mediante a prática de conjunto, num ambiente que remete ao de uma orquestra sinfônica.

Às 20h, é a vez da Corporação Musical Zequinha de Abreu se apresentar, no deck do “Food Park” do FLIV, localizado na Avenida Ângelo Bimbato, nos arredores do Parque da Cultura.

27/10/16

Nesta sexta, Rede Panapanã discute juventude e resistência no FLIV

Um dos destaques da programação desta sexta-feira (27/10) na 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga é o bate-papo “Juventude e Resistência”, que acontece às 15h30, no Galpão FLIV. Promovida pela Rede Panapanã de Mulheres do Noroeste Paulista, a atividade contará com a participação de Criméia de Almeida e Amelinha Teles, duas importantes personagens da luta pelos direitos das mulheres durante a ditadura militar.

A conversa também reunirá os professores Paulo Stipp e Sylvia Okimoto e contará com a mediação de Ligia Pontes, integrante da Rede Panapanã. Durante o bate-papo, além de ter a oportunidade de entrar em contato com o relato de mulheres que lutaram contra a ditadura e em defesa da democracia, o público também poderá conhecer a perspectiva de estudantes e professores diante do atual contexto brasileiro de reformas na educação.


Amelinha Teles

Amelinha Teles é “feminista histórica”. Ex-presa política na época da ditadura militar, ainda é ativista política e de direitos humanos. Fundadora e diretora da União de Mulheres de São Paulo desde 1981, atualmente é assessora da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva”. 

Amelinha compõe a Coordenação Estadual das Promotoras Legais Populares de São Paulo desde 1994 e é autora dos livros: “O que é violência contra a mulher”; “Os Cursos de Direito sob a perspectiva de Gênero; “O que são direitos humanos das mulheres” e “Breve História do Feminismo no Brasil”, em co-autoria com Monica de Melo. 


Criméia de Almeida

Irmã de Amelinha Teles, Criméia de Almeida é da União de Mulheres de São Paulo, militante dos Familiares dos Desaparecidos Políticos e ex-guerrilheira no Araguaia. Foi torturada mesmo estando grávida de sete meses. 

Em depoimento à Comissão Estadual da Verdade “Rubens Paiva”, na Assembleia Legislativa de São Paulo, Criméia contou que um suposto médico acompanhava suas torturas. “Ele dizia: ela aguenta a tortura nos pés e nas mãos, só não pode espancar a região da barriga.” Continuou sendo torturada até dar à luz a seu filho, ainda que sob constantes ameaças dos militares de que ele não sobreviveria. Após o parto, Criméia foi impedida de vê-lo e só pôde recuperá-lo 53 dias depois de seu nascimento, desnutrido e dopado. 

Em 2005, Criméia e seus familiares moveram uma ação declaratória contra o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-Codi na época da ditadura, responsabilizando-o pelas torturas sofridas. Três anos depois, a Justiça de São Paulo acatou a ação e Ustra se tornou o primeiro agente da ditadura a ser declarado torturador. Em 2012, ele teve seu recurso negado. 

Criméia mantém sua atuação política por meio da Comissão dos Familiares dos Mortos e Desaparecidos Políticos. É uma das presas políticas depoentes do filme “Que bom te ver viva”, da cineasta e ex-presa política Ana Murat.


A Rede Panapanã

A Rede Panapanã de Mulheres do Noroeste Paulista foi fundada em Votuporanga, em março de 2016. “Panapanã” é um substantivo feminino de origem indígena (tupi), que significa “um bando de borboletas ou uma nuvem de borboletas em migração”, e significa, para o grupo, a transformação, a liberdade, a diversidade, e a beleza enquanto essência e não aparência. É uma Rede apartidária, que visa defender e lutar pelos direitos das mulheres enquanto direitos humanos e ainda contra qualquer tipo de exploração, opressão e discriminação por classe, raça, etnia, religião, geração, região ou nação, condição física e orientação sexual. Mais informações em facebook.com/redepanapana

27/10/16

Vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura participam de bate-papo no FLIV

Vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2016, os escritores Marcelo Maluf e Rafael Gallo participam de um bate-papo com o público nesta quinta-feira (27/10), às 14h, no Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali". A atividade é gratuita e faz parte da programação da 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga, que segue até sábado (29/10), no Parque da Cultura.

Marcelo Maluf foi ganhador do PSPL 2016 na categoria “Melhor Livro de Romance do Ano – Autor Estreante com mais de 40 anos”, com o título “A imensidão íntima dos carneiros", publicado pela Editora Reformatório. 

Já Rafael Gallo foi premiado por "Rebentar", título publicado pela Editora Record, premiado na categoria “Melhor Livro de Romance do Ano – Autor Estreante com menos de 40 anos”. 


Marcelo Maluf

Nascido em Santa Bárbara d’Oeste, no interior de São Paulo, Marcelo Maluf é escritor, professor e mestre em Artes pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Publicou o livro de contos “Esquece tudo agora” e o infantil “As mil e uma histórias de Manuela”, entre outros títulos. “A imensidão íntima dos carneiros” é o seu primeiro romance e foi finalista do Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), em 2015. 


“A imensidão íntima dos carneiros”

Assaad Simão Maluf veio do Líbano para o Brasil ainda menino, depois de viver uma tragédia na família, no ano de 1920. Marcelo, seu neto, não o conheceu. Quando nasceu, em janeiro de 1974, Assaad Simão já havia falecido. Mas, na busca por compreender sua própria identidade e a dos seus antepassados, Marcelo se vê no ano de 1966, na casa do avô, na cidade de Santa Bárbara d’Oeste, interior de São Paulo. Sentado à janela da casa, Assaad escreve em um caderno suas memórias sobre a infância no Líbano, quando pastoreava carneiros nas montanhas de Zahle. Marcelo acompanha, como uma presença invisível, a escrita do avô, que está vivendo os seus últimos dias.


Rafael Gallo

Paulistano, Rafael Gallo é graduado em Música pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela Universidade de São Paulo (USP). É autor de “Réveillon e outros dias”, livro vencedor do Prêmio Sesc de Literatura e finalista do Prêmio Jabuti, ambos na categoria “Contos”, e de “Rebentar”. Rafael tem ainda contos publicados em diversas revistas e antologias, como a “Desassossego” e a “Machado de Assis Magazine”, que veiculou a tradução do conto “Réveillon” para o espanhol.


“Rebentar”

Ângela é mãe de uma criança desaparecida. Felipe, aos 5 anos de idade, sumiu depois de ter sido deixado sozinho em uma loja de brinquedos, por alguns minutos, e nunca mais foi visto. Após passar três décadas afundada no luto pela ausência e nos esforços fracassados da busca pelo menino, Ângela decide encerrar por conta própria seu elo com o filho, aceitando sua perda irremediável e se dando o direito de reconstruir seu mundo. Uma emocionante travessia por entre a vida, a morte e tudo o que há no meio.

26/10/16

Artistas e artesãos votuporanguenses são destaque no FLIV 2016

Considerado o maior evento multicultural gratuito do Estado de São Paulo, o FLIV – Festival Literário de Votuporanga chega à sua 6ª edição com mais de 160 atrações, que vêm sendo desenvolvidas desde a última sexta-feira (21/10) e seguem até o dia 29 de outubro, no Parque da Cultura.

Em meio a tantas atividades, a produção cultural votuporanguense vem se destacando e, de acordo com a organização do evento, já é responsável por mais de um terço de toda a programação oferecida pelo festival. 

Para a coordenadora do FLIV, Cibeli Moretti, o evento tem se firmado como um ambiente importante para o reconhecimento e também para a formação dos artistas da cidade. “Nós temos, em Votuporanga, excelentes grupos e excelentes projetos, e o FLIV sempre fez questão de trazer esses artistas locais para perto. Nós acreditamos que, com o festival, existe uma troca: os artistas que vêm de fora acabam levando coisas daqui e os artistas daqui também aprendem coisas novas com as pessoas que vêm de fora. Dessas diferentes bagagens, surge um intercâmbio cultural, que ajuda não só na formação, mas também no reconhecimento de cada artista”, afirma Cibeli.

Em torno de 50 atrações da programação têm a presença de artistas de Votuporanga, muitos deles se apresentando por mais de uma vez. 

Além de profissionais de artes performáticas, como música, dança, contação de histórias e teatro, o FLIV também conta com a presença de mais de 20 artesãos votuporanguenses, que têm a oportunidade de expor seu trabalho numa feira, que diariamente ocupa um espaço exclusivo no Parque da Cultura. 

De acordo com a artesã Ana Maria Rosende Garcia, a participação dos artesãos no FLIV contribui, principalmente, para a divulgação dos trabalhos manuais produzidos no município. “Durante o festival, temos a chance não só de vender o que está exposto, mas também de conseguir novas encomendas e de recomendar o trabalho de novos profissionais para um maior número de pessoas”, comenta Ana.

26/10/16

Marcia Tiburi e Noemi Jaffe participam de bate-papo nesta quinta-feira

Dois importantes nomes da literatura brasileira contemporânea se encontram nesta quinta-feira (27/10), durante a programação da 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga, que acontece até o dia 29 de outubro, no Parque da Cultura, com atividades totalmente gratuitas e abertas a todos os públicos.

As escritoras Marcia Tiburi e Noemi Jaffe se reúnem às 19h30, no auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali" para o bate-papo “Ficção da Vida”. A principal questão abordada pelas autoras durante a conversa com o público será “como a literatura se origina da vida, do cotidiano, da história, do imaginário e se transforma numa poderosa ferramenta lúdica e crítica, que nos torna mais conscientes e melhores como sujeitos?”.

Marcia Tiburi é graduada em filosofia e artes. Colunista da Revista Cult e ex-apresentadora do programa “Saia Justa”, do GNT, é autora de ensaios filosóficos, como “Filosofia em Comum”, “Olho de Vidro” e “Como Conversar com um Fascista”. Em 2016, está lançando seu quinto romance, “Uma Fuga Perfeita É Sem Volta”.

Escritora, professora e crítica literária, Noemi Jaffe oferece cursos de escrita criativa em diversas instituições. Desde 2006, é colaboradora dos jornais “Folha de S. Paulo” e “Valor Econômico” e vem participando como jurada de concursos literários, como o Prêmio Oceanos, um dos mais importantes do país. Noemi é autora de “O Que os Cegos Estão Sonhando”, “Livro dos Começos” e “Írisz: as Orquídeas”, entre outros títulos.

 

Quinta-feira no FLIV

Além do bate-papo com as autoras Marcia Tiburi e Noemi Jaffe, o FLIV também recebe, nesta quinta-feira (27/10), às 21h, no palco principal do Parque da Cultura, o espetáculo musical “Palavra de Mulher”, que integra o Circuito SESCOOP/SP de Cultura. No show, Célia, Tania Alves e Virgínia Rosa (substituída por Aretha Marcos em algumas apresentações) dividem o palco e dão vida a algumas das imortais personagens femininas da obra de Chico Buarque. As atrizes emprestam voz, corpo e sentimentos a muitas outras mulheres, reveladas em algumas das mais belas canções do compositor, tais como “Tatuagem”, “O Meu Amor”, “Folhetim” e “Atrás da Porta”.

A partir desta quinta-feira, o FLIV também conta com a presença do projeto educacional “Elektro nas Escolas”. Até o dia 28 de outubro, o projeto leva à comunidade escolar uma série de informações sobre os processos de geração, transmissão, distribuição e o bom uso da energia elétrica, proporcionando aos alunos experiências lúdicas e interativas. Além das atividades desenvolvidas no interior de uma Unidade Móvel de Ensino, haverá também a apresentação do teatro de fantoches “A Jovem Escritora”, que busca reforçar os conceitos transmitidos pelo “Elektro nas Escolas” de forma simples e divertida. As sessões do projeto tem duração de aproximadamente 30 minutos e acontecem no período da manhã, das 7h30 às 11h30, e durante a tarde, das 13h às 17h.

Já às 14h, o Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas recebe um bate-papo com os escritores Marcelo Maluf e Rafael Gallo, vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2016, na categoria “Melhores Livros do Ano – Escritores Estreantes”.

A literatura continua em pauta às 16h, no auditório externo, com bate-papo e pocket show do cantor, compositor, violinista, escritor e poeta Reynaldo Bessa. Além de conversar com o público a respeito da importância da literatura e a escrita como seu reflexo, o autor apresenta canções próprias e também algumas interpretações da música brasileira. Durante a atração, Bessa também realiza o lançamento de seu novo romance, “Na Última Lona”, publicado pela editora Penalux.

Às 17h, é a vez do projeto Negra Margem ocupar o auditório externo e apresentar fragmentos da múltipla perspectiva da poesia, pela voz de mulheres negras. Com sarau, diálogos e reflexões, Anna Claudia Magalhães e Mayara Ísis referenciam e reverenciam autoras como Carolina Maria de Jesus, Elisa Lucinda, Conceição Evaristo e Elizandra Souza.

25/10/16

Tarso de Melo fala sobre a obra literária de Renato Russo nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira (26/10), mais um dos escritores convidados para a 6º edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga sobe ao palco do auditório externo do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali". Às 19h30, o poeta e crítico literário Tarso de Melo participade um bate-papo com o público a respeito da obra literária de Renato Russo, líder e vocalista da banda brasiliense Legião Urbana.

A conversa, intitulada “Renato Russo escritor”, abordará um lado pouco conhecido da carreira de um dos músicos mais emblemáticos do rock brasileiro. Além de compositor e cantor, Renato Russo deixou uma série de escritos inéditos, que vêm sendo publicados pela editora Companhia das Letras.

Tarso de Melo é o organizador do recém-lançado “The 42nd Street Band”, livro escrito em inglês, quando Renato Russo tinha apenas 15 anos de idade. Durante sua fala no FLIV, o autor abordará, entre outros temas, o vasto material literário deixado pelo fundador da Legião Urbana e a importância da literatura em sua trajetória pessoal.

 

Quarta-feira no FLIV

Além do bate-papo com Tarso de Melo, o FLIV também recebe nesta quarta-feira (26/10), a palestra “Canteiro de Obras”, com Inês Bogéa, às 10h, no Cinema Cultural do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali". Nesta atividade, a diretora da São Paulo Companhia de Dança fala sobre as memórias, expectativas, tarefas, dificuldades e conquistas, que permeiam o cotidiano e o processo criativo de uma companhia de dança profissional.

Às 12h, no palco do Centro de Convenções “Jornalista Nelson Camargo”, o coreógrafo e professor ensaiador da São Paulo Companhia de Dança, Milton Coatti, promove a oficina “Repertório em Movimento”. A atividade é voltada para bailarinos com mais de 12 anos de idade e recebe até 50 participantes. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no local, com uma hora de antecedência.

Outra atração que promete chamar a atenção do público é o “Sarau Afrokaoss: Diálogos Afrofuturistas”, que acontece às 15h, na Varanda FLIV. Nesta atividade os artistas Nego Rocha e Wilde Maurício compartilham, em uma vivência coletiva, seu processo criativo. Nego Rocha mostra através de suas criações musicais, a conexão da percussão afro-brasileira aos modernos processos da música eletrônica. Wilde retrata a história, a arte, as cores,  os costumes e o sagrado do povo iorubá, uma civilização que muito contribuiu para a construção da identidade brasileira.

Já às 21h, os músicos Zulaiê, José Cássio Jaber, Filipe Murbak, Gustavo Bombonato e Cláudio Santos apresentam o show “Antônio Brasileiro: Especial Tom Jobim”, no palco principal do Parque da Cultura. A iniciativa busca manter presente e pulsante a beleza da obra do maestro Antônio Carlos Jobim. Por meio de interpretações simples, intensas e repletas de dramaticidade, o espetáculo é um convite ao universo jobiniano e à experimentação de sua riqueza musical e poética.

25/10/16

Programa “Pontos MIS” exibe filmes gratuitos durante festival

Uma das principais novidades trazidas pela 6ª edição do FLIV – Festival Literário de Votuporanga é a exibição gratuita de filmes, oferecida pelo programa “Pontos MIS”, do Museu da Imagem e do Som (MIS), de São Paulo.

Serão realizadas 11 sessões durante a programação do festival, a partir desta terça-feira (25/10). As exibições marcam o início da parceria entre o museu e a gestão municipal, firmada em setembro deste ano pelo prefeito Junior Marão.

Em forma de programa sistematizado, o “Pontos MIS” funciona num sistema de parcerias entre o museu e diversas cidades do Estado de São Paulo. O MIS oferece a programação e o material de divulgação, enquanto os municípios se responsabilizam pela infraestrutura necessária para a implantação do programa, que inclui espaço adequado para as exibições, equipamentos, equipe e divulgação local.

Em Votuporanga, a estrutura do Centro de Informações Culturais e Turísticas “Marão Abdo Alfagali”, que sedia grande parte das atividades do FLIV 2016, foi decisiva para a efetivação da parceria. A sala de cinema do local, batizada de “Cinema Cultural”, tem capacidade para 70 lugares, e exibirá diversos títulos durante o festival, incluindo filmes de curta e longa-metragem.

 

Sobre o programa “Pontos MIS”

O “Pontos MIS” nasceu em 2011, com o objetivo de promover a difusão audiovisual, a formação de público e a circulação de obras cinematográficas. De 2011 a 2015, a abrangência do programa aumentou em 350%, alcançando mais de 135 pontos espalhados pelo Estado de São Paulo.

Mensalmente, o Museu da Imagem e do Som (MIS) envia às cidades parceiras um programa de filmes diferente para ser exibido, geralmente composto por um curta e um longa-metragem, acompanhados de uma atividade complementar, que pode ser desde um bate-papo com o diretor do filme até uma oficina audiovisual.

Nos últimos quatro anos, o “Pontos MIS” já realizou mais de 10 mil sessões de cinema, ultrapassando a marca de meio milhão de espectadores. Atualmente, o programa conta com um catálogo de mais de 100 filmes, entre títulos nacionais e internacionais.

Com grande diversidade temática, o acervo foi pensado para atender às diversas solicitações e realidades locais, por meio de filmes que se encontram fora do circuito comercial de cinema.

 

Confira a programação completa do “Ponto MIS – Votuporanga” na 6ª edição do FLIV:


TERÇA-FEIRA, 25/10

13h - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Triunfo”

Diretores: Caue Angeli e Hernani Ramos

Brasil, 2014, 84 min. Gênero: Documentário

Classificação: Livre

 

16h - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Tudo Pode Dar Certo”

Diretor: Woody Allen

EUA, 2009, 91 min. Gênero: Comédia

Classificação: 12 anos

 

QUARTA-FEIRA, 26/10

17h - Cinema Cultural: Ponto MIS – “O Gigante”

Diretor: Julio Vanzeler e Luís da Matta Almeida

Brasil, 2012, 10 min.

Classificação: Livre

 

17h30 - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Realejo”

Diretor: Marcus Vinicius Vasconcelos

Brasil, 2012, 12 min. Gênero: Animação

Classificação: Livre

 

18h - Cinema Cultural: Ponto MIS – “A Ilha”

Diretor: Alê Camargo

Brasil, 2008, 9 min.

Classificação: Livre

 

18h30 - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Destinação”

Diretor: Ricardo de Podestá

Brasil, 2012, 13 min.

Classificação: Livre

 

QUINTA-FEIRA, 27/10

9h30 - Cinema Cultural: Ponto MIS – “O fim do filme”

Diretor: André Dib

Brasil, 2012, 15 min.

Classificação: Livre

 

17h - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Com os pés na cabeça”

Diretor: Tiago Scorza e Gabriela Liuzzi Dalmasso

Brasil, 2012, 15 min.

Classificação: Livre

 

SEXTA-FEIRA, 28/10

9h30 - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Minhocas, o Filme”

Diretor: Paolo Conti

Brasil/Canadá, 2013, 82 min. Gênero: Animação

Classificação: Livre

 

11h30 - Cinema Cultural: Ponto MIS – “Olho Nu”

Diretor: Joel Pizzini

Brasil, 2014, 101 min. Gênero: Documentário

Classificação: 16 anos

 

SÁBADO, 29/10

15h- Cinema Cultural: “Ponto MIS – O Jeca e a Freira”

Diretor: Amácio Mazzaropi

Brasil, 1968, 102 min. Gênero: Comédia

Classificação: Livre

Guia

  • Agência Bancária
  • Farmácia/Drogaria
  • Hotéis
  • Imobiliárias
  • Lanchonete
  • Pizzaria
  • Ponto de Táxi
  • Restaurante
  • Serviço Médico
  • Postos de Combustível
  • Transporte
  • Emergência